sexta-feira, 23 de abril de 2010

E com as mãos na cabeça pensou.
Cheia de amor pra dar e comprar..
Coitada,
mas que dó!
Morrendo de vontade de sorvete no pão de ló.
Chorando as lágrimas, sorriu para seu irmão:
Não é nada, quase tudo passa.

3 comentários:

  1. Quase tudo. =)

    ResponderExcluir
  2. já aviso que não sei interpretar poemas. gosto de tentar. obrigado pelo elogio! estarei te seguindo ;D

    ResponderExcluir
  3. Nao sabemos decifrar poemas. rs
    mesmo assim convivemos com eles dentro e fora de cada um de nos ;P


    Biia...cade as coisinhas pra mulheres??
    estou aguardando!

    Beijoss :*

    ResponderExcluir